Não vamos falar em termos absolutos, pois isso não é possível, na transitória vida humana.

Todo mundo já participou ou fez fofoca.

Até segundo o autor e historiador judeu Harari, não existiria civilização sem fofoca.

Mas o comportamento estabelecido da fofoca é extremamente nocivo e diz muito a respeito de quem pratica.

Existe um mecanismo amplamente estudado e quase consenso na comunidade científica da Psicologia, chamado transferência.

Quando falo de alguém, analisando de forma isenta vou perceber que estou falando de mim, boa parte das vezes.

Ou tenho aquela característica que crítico ou desejo ter aquela qualidade que menosprezo.

A fofoca alimenta uma fome obscura dentro de nós, a sede de se sentir bem diminuindo o outro.

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico e atende online e em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.