Embora por vezes, aquilo que a criança fala ou faz, possa não ter sentido para os adultos e carecer de lógica, toda interação entre os dois deve ser pautada na consideração e respeito.

Imagine o dia dos pais ou das mães, a criança traz da escola aquele desenho do pai ou da mãe feito na escola com todo amor e dedicação.

Obviamente não se trata de uma obra de arte, geralmente é aquele desenho de palitinhos.

O pai ou mãe cabe o reconhecimento e o valor daquela construção infantil, como fator constituinte da personalidade e da auto estima.

Atribuindo valor ao desenho, os pais validam o agir e o existir daquela criança.

De certa forma “autorizam” a criança e suas ações no mundo.

Afinal de contas para a criança, o pai e a mãe são as autoridades em todos os aspectos, se eles dizem que é bom ou ruim, para criança isto é verdade absoluta e incontestável.

Pense na sua área de atuação como adulto, a pessoa de referência diz que seu trabalho não é bom, como se sentiria?

Na criança esse desconforto é muito maior, por não estar instrumentalizada ainda para lidar com a maioria das situações.

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico atua com CRIANÇAS em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.