Sozinhos ou solitários?

Sozinhos ou solitários?

Como seres de profunda natureza social, na contramão da onda de auto suficiência e individualismo, precisamos uns dos outros.

Evitando ao máximo os extremos, pois temos também que desenvolver uma relação íntima conosco.

Somos imensamente mais singulares que uma impressão digital, dentro de nós existe um universo tão extenso quanto o próprio universo.

Devemos procurar conhecer ao máximo este ser, para podermos navegar neste universo que somos nós.

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico e atende online e de forma presencial  em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.

O amor cura.

O amor cura.

A incongruência! Talvez o maior mal do nosso tempo.

Quando se vive em uma sociedade de aparências, o coração clama por um ouvinte atento.

Nada é mais terapêutico que o amor de ser compreendido em toda sua complexidade.

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico e atende online e em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.

A imprevisibilidade da vida.

A imprevisibilidade da vida.

A vida nos desafia a todo tempo a nos adaptarmos.

Aquela vida planejada é execessão.

Estamos todos sujeitos a imprevisibilidade do caminho. Embora seja difícil é necessário alguma plasticidade para enfrentar o desconhecido.

Isto não significa que não iremos sofrer com isso.

Significa que devemos contar com nossos recursos pessoais, mais também com a ajuda de amigos, familiares e até profissionais para nos adaptarmos as novas realidades que se apresentam.

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico e atende online e em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.

Culpa ou responsabilidade?

Culpa ou responsabilidade?

O livre arbítrio em um nível mais alto, depende da nossa capacidade de assumir responsabilidade pela própria vida.

A vida é feita de escolhas e cada uma delas é uma renúncia.

Obviamente estamos sujeitos a forças além do nosso âmbito de poder.

Mas culpar os outros, o governo não nos leva a lugar nenhum, na Psicologia isto é chamado mentalismo.
Pensar, fundamenta nosso agir, mas o excesso dele nos imobiliza.

Se queremos ser donos do próprio nariz, deve haver um esforço no sentido de deixarmos de lado a “culpa” dos outros e focar na nossa responsabilidade.

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico e atende online e em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.

Como o amor deveria ser?

Como o amor deveria ser?

Creio que o amor dispensa joguinhos. Truques, esperas, vácuo, vou falar agora porque vou ter o efeito desejado, ou não vou falar porque não é oportuno.

Amor é um troço massa, não precisa de de joguinho de sedução, se acontecer não é amor.

Falo de amor como exercício mas sublime da alma humana.

Amor é para ser compartilhado, vivido, não é xadrez, ou qualquer outro jogo de estratégia.

Quando se opera apenas no nível racional, tentando conquistar alguém, não se obtém amor, porque ele é do espectro dos sentimentos.
Gosto de observar casais de velhinhos, eles parecem ter algo que estamos perdendo.

Estão ali experimentando os efeitos dos anos, o vigor abalado, o peso do tempo cobra o seu preço.

Não é sexo, nem grana, ou beleza, mas eles sorriem, brincam, se curtem.

Então o que os faz sorrir?

Todo mundo têm um monte de limitações, eles sabem das suas, mas se comportam como se fosse aquela criança que faz uma arte, que no mundo adulto seria reprovável, mas como o contexto permite e trata-se de uma criança, todos riem e dizem que bonitinho, olha só o que ele fez!

Os casais velhinhos, pelo menos aqueles que observo, desenvolveram a capacidade de rir de si mesmos, como se suas limitações não fossem o foco da questão e pouco importassem e será que importam?

Cai bem aquela frase de Sêneca, se quiser amar, ame! Simples assim!

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico e atende online e em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.

Sobre a fofoca.

Sobre a fofoca.

Não vamos falar em termos absolutos, pois isso não é possível, na transitória vida humana.

Todo mundo já participou ou fez fofoca.

Até segundo o autor e historiador judeu Harari, não existiria civilização sem fofoca.

Mas o comportamento estabelecido da fofoca é extremamente nocivo e diz muito a respeito de quem pratica.

Existe um mecanismo amplamente estudado e quase consenso na comunidade científica da Psicologia, chamado transferência.

Quando falo de alguém, analisando de forma isenta vou perceber que estou falando de mim, boa parte das vezes.

Ou tenho aquela característica que crítico ou desejo ter aquela qualidade que menosprezo.

A fofoca alimenta uma fome obscura dentro de nós, a sede de se sentir bem diminuindo o outro.

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico e atende online e em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.