Sobre a vida e o viver.

Sobre a vida e o viver.

Era 1969, um ano antes de eu nascer a então psiquiatra suíça Elisabeth Kübler-Ross publica seu livro Sobre a morte e o morrer.

Onde descreve as 5 fases psicológicas que antecedem a morte.

São elas negação, raiva, barganha, depressão e aceitação.

Mais tarde o modelo Kübler-Ross, como é chamado, foi difundido para perdas de uma forma geral, divórcio, bens materiais, trabalho e tudo aquilo que podemos perder.

Dor e perda são tão naturais quando o deleite e o ganho.

A dor tem uma característica bem singular, é uma ótima professora, aliada a bons e experientes amigos, para dividir e debater a dor, ela tem um valor inestimável.

Conversando, com um destes bons amigos, ele me disse assim… Você está vivendo o momento sagrado do luto.

É tempo de luto, não de luta. Tempo de abraçar a dor e não se esconder dentre miragens para evitá-la.

Putz! Fez todo sentido pra mim, necessário viver a dor, assim como a alegria e a serenidade, como força constitutiva do amadurecimento.

Como ir adiante, neste processo se fujo dele? Alguém se gradua sem ir a faculdade? É possível matar a fome sem comer?

Quem consegue nadar sem entrar na água? Então como ser humano sem sofrer?

Claro, não generalizo, falo desta situação singular, que vivo no momento, existe muita dor no mundo e óbvio algumas devem ser evitadas.

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico atua online e de formar presencial em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970

Construindo a autoestima da criança.

Construindo a autoestima da criança.

Embora por vezes, aquilo que a criança fala ou faz, possa não ter sentido para os adultos e carecer de lógica, toda interação entre os dois deve ser pautada na consideração e respeito.

Imagine o dia dos pais ou das mães, a criança traz da escola aquele desenho do pai ou da mãe feito na escola com todo amor e dedicação.

Obviamente não se trata de uma obra de arte, geralmente é aquele desenho de palitinhos.

O pai ou mãe cabe o reconhecimento e o valor daquela construção infantil, como fator constituinte da personalidade e da auto estima.

Atribuindo valor ao desenho, os pais validam o agir e o existir daquela criança.

De certa forma “autorizam” a criança e suas ações no mundo.

Afinal de contas para a criança, o pai e a mãe são as autoridades em todos os aspectos, se eles dizem que é bom ou ruim, para criança isto é verdade absoluta e incontestável.

Pense na sua área de atuação como adulto, a pessoa de referência diz que seu trabalho não é bom, como se sentiria?

Na criança esse desconforto é muito maior, por não estar instrumentalizada ainda para lidar com a maioria das situações.

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico atua com CRIANÇAS em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.

Sozinhos ou solitários?

Sozinhos ou solitários?

Como seres de profunda natureza social, na contramão da onda de auto suficiência e individualismo, precisamos uns dos outros.

Evitando ao máximo os extremos, pois temos também que desenvolver uma relação íntima conosco.

Somos imensamente mais singulares que uma impressão digital, dentro de nós existe um universo tão extenso quanto o próprio universo.

Devemos procurar conhecer ao máximo este ser, para podermos navegar neste universo que somos nós.

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico e atende online e de forma presencial  em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.

O amor cura.

O amor cura.

A incongruência! Talvez o maior mal do nosso tempo.

Quando se vive em uma sociedade de aparências, o coração clama por um ouvinte atento.

Nada é mais terapêutico que o amor de ser compreendido em toda sua complexidade.

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico e atende online e em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.

Como o amor deveria ser?

Como o amor deveria ser?

Creio que o amor dispensa joguinhos. Truques, esperas, vácuo, vou falar agora porque vou ter o efeito desejado, ou não vou falar porque não é oportuno.

Amor é um troço massa, não precisa de de joguinho de sedução, se acontecer não é amor.

Falo de amor como exercício mas sublime da alma humana.

Amor é para ser compartilhado, vivido, não é xadrez, ou qualquer outro jogo de estratégia.

Quando se opera apenas no nível racional, tentando conquistar alguém, não se obtém amor, porque ele é do espectro dos sentimentos.
Gosto de observar casais de velhinhos, eles parecem ter algo que estamos perdendo.

Estão ali experimentando os efeitos dos anos, o vigor abalado, o peso do tempo cobra o seu preço.

Não é sexo, nem grana, ou beleza, mas eles sorriem, brincam, se curtem.

Então o que os faz sorrir?

Todo mundo têm um monte de limitações, eles sabem das suas, mas se comportam como se fosse aquela criança que faz uma arte, que no mundo adulto seria reprovável, mas como o contexto permite e trata-se de uma criança, todos riem e dizem que bonitinho, olha só o que ele fez!

Os casais velhinhos, pelo menos aqueles que observo, desenvolveram a capacidade de rir de si mesmos, como se suas limitações não fossem o foco da questão e pouco importassem e será que importam?

Cai bem aquela frase de Sêneca, se quiser amar, ame! Simples assim!

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico e atende online e em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.

Uma história de amor

Uma história de amor

Não importa aquilo que fizeram pra você hoje!

Se foi ofendido, maltratado no banco ou no supermercado, injustiçado, traído ou difamado.

Não importa se algumas pessoas não gostam de você, ou se insistem em se intrometer na sua vida e dar conselhos sobre temas que não sabem nem o suficiente para uso próprio.

Não importa se não cumpriu tudo o que se propôs hoje ou se alguém não realizou o prometido.

Não importa se alguém te fez sofrer ou você, mesmo sem querer foi o sofrimento de alguém.

Ninguém sai ileso da vida, todos sairemos cobertos de cicatrizes.

O importante é que chegamos ao final do dia com nossa verdade inabalável, que estamos dando continuidade a grande história de amor de todos os tempos, a nossa!

Antoani Werner Morelli é Psicólogo clínico e atende online e em Balneário Camboriú – CRP 12-16602 e WhatsApp 47 9 8822 1970.